pesquisa na Web.... pesquisa em ASGARDH.... pesquisa em iHEAVEN.... pesquisa em iHELL.... pesquisa em Ridertamashii ENTRETENIMENTO.... Previsão do Tempo para São Paulo
translate for english

MITOLOGIA NÓRDICA

iHEAVEN, um mundo de fantasia!
  • iHEAVEN(home)
  • MITOLOGIA CLASSICA
  • MITOLOGIA NORDICA
  • MITOLOGIA CELTA
  • MITOLOGIA EGIPCIA
  • PSICHES,psicologia e religiões comparadas
  • ESPIRITUALIDADE
  • MAGIA
  • BUDISMO
  • BRAHMANISMO
  • DA VINCE, MITOS JUDAICO-CRISTAOS.
  • OS ILUMINADOS
  • COMERCIAIS
    CONTATO COM ASGARDH
    email: sygrun@gmail.com
    Powered by


    BLOGGER

  • ASGARDH, hell and heaven
  • Ridertamashii:animes,mangas,HQs,cultura POP
  • BERSERKER HELLS WARRIOR
  • A Roda das Mudanças Entre os Mundos de Yggdrasil
  • A Redescoberta do Mundo Encantado dos Elfos
  • Os Deuses Nórdicos ( poema )
  • AS RUNNAS
  • OS DEUSES E AS CORES
  • ervas mágicas
  • DIREITOS AUTORAIS EM ASGARDH
  • o sacrificio asa de aguia, por vagner cruz
  • O JÓL, Solstício de Inverno
  • O último reino, de Bernard Cornwell, critica pelo prof JOHNNI LANGER
    terça-feira, dezembro 26, 2006

    O último reino, de Bernard Cornwell. Primeiro volume da trilogia
    Crônicas Saxônicas. São Paulo: Editora Record, 2006. 362p.
    A tradição literária de reconstituir episódios sobre os nórdicos
    medievais provém do Oitocentos. Fridegard, Bengtsson, entre outros
    escritores, brindaram seus leitores com romances memoráveis,
    popularizando os Vikings por toda a Europa. Desta vez, é o autor
    britânico Bernard Cornwell que concede aos leitores brasileiros um
    excepcional romance histórico. Tratando da presença Viking (mais
    especificamente dinamarquesa) na Inglaterra anglo-saxônica do século
    IX, o autor criou uma obra com uma narrativa empolgante que consegue
    unificar o resultado das mais recentes pesquisas
    acadêmicas/historiográficas com a ficção literária. O protagonista do
    romance, o ficcional Uhtred, envolve-se na trama com personagens
    históricos como o rei Alfredo, o Grande, os filhos de Ragnar Lodbrok,
    entre outros, mesclando uma reconstituição histórica formidável com
    um denso texto literário, mas ao mesmo tempo prazeroso e com momentos
    de humor. Cornwell mostra-se conhecedor de uma recente historiografia
    que desconstruiu inúmeros estereótipos sobre os Vikings (como a os
    capacetes com chifres, o comportamento dos berserkers, o ritual da
    águia de sangue como uma invenção literária cristã, p. 359-360), como
    também do cotidiano, sociedade, estrutura familiar, política e
    econômica tanto dos anglo-saxões quanto dos escandinavos do século
    IX. As informações no romance sobre a religiosidade paganista são
    excepcionais, um dos pontos altos da obra, como também os dados sobre
    alimentação, equipamentos de guerra, descrições de batalhas,
    estrutura urbana e geográfica. O autor teve uma grande preocupação
    com toponímia e lingüística, concedendo ao leitor todos os seus
    critérios para estes dados, além de suas principais fontes primárias
    e bibliográficas, como a Crônica anglo-saxã e o arqueólogo James
    Graham-Campbell (p. 11-13, 359-362).

    Pontos errados no romance:
    - Uso de pingente de martelo do deus Thor no século IX, p. 52 e em
    diante. Não há evidências disso antes do final do século X. Parece
    que esta prática foi uma resposta pagã ao uso de crucifixos.
    - Os Svear como dinamarqueses, p. 68. Errado, os Svear moravam no
    centro-leste da Suécia, quem habitava o sul da Suécia na época em que
    esta região era controlada por dinamarqueses eram os Gotar.
    - Ragnar, Uhtred, choram em várias ocasiões. Considero isso um
    anacronismo, visto que fontes árabes, latinas e escandinavas
    atentavam que o choro era vergonhoso para um guerreiro Viking, sendo
    uma função social da mulher.
    - Virgindade para o casamento, p. 213. Anacronismo, a virgindade não
    era obrigação para uma mulher nórdica quando casava, isso é estrutura
    cristã.
    - "Quando o mundo foi feito por Tor a partir da carcaça de Ymir", p.
    284. Grave, erro grave. Todo mundo sabe que foi Odin. Mas aqui fica a
    dúvida: esses dois deuses são citados na obra inteira. Não teria sido
    um descuido do tradutor? Uma obra com qualidade de pesquisa e
    profundo conhecimento de mitologia e religião, creio que o autor não
    iria cometer uma gafe dessas...
    - A filha de Ragnar escolhe com quem quer casar e o pai consente.
    Erro, tanto entre as sociedades pagãs quanto cristãs eram as famílias
    que escolhiam os parceiros, no segundo caso até para os filhos (isso
    até o fim da Idade Média).
    Abraços, Johnni.
    JOHNNI LANGER
    posted by iSygrun Woelundr @ 6:03 PM  
    2 Comments:
    • At 9:59 PM, Blogger Renan Mansur Paz said…

      Mas afinal, vc recomenda ou não o livro?

       
    • At 10:00 AM, Blogger Sygurd said…

      segundo os comentarios do prof JOHNNI LANGER em um dos grupos do yahoo "grupos", apesar de alguns erros históricos ele considera esse livro recomendadíssimo e gostou muito.

       
    Postar um comentário
    << Home
     
    iHELL, a cidade do pecado!
  • iHELL, A CIDADE DO PECADO(canal de tecnologia)
  • iMOTOKO, um futuro pleno de tecnologia
  • KINEMA, artes e espetáculos
  • iAPLEE, o mundo da maçã
  • iCHINACELL, tecnologia móvel chinesa
  • BIBLIOTECA ON LINE
  • MOMENTO POLÍTICO
  • PIADAS
  • Ridertamashii
  • ultimas UNIVERSO ASGARDH
  • BERSERKER HELLS WARRIOR
  • A Roda das Mudanças Entre os Mundos de Yggdrasil
  • A Redescoberta do Mundo Encantado dos Elfos
  • Os Deuses Nórdicos ( poema )
  • AS RUNNAS
  • OS DEUSES E AS CORES
  • ervas mágicas
  • DIREITOS AUTORAIS EM ASGARDH
  • o sacrificio asa de aguia, por vagner cruz
  • O JÓL, Solstício de Inverno
    REPORTAGENS ARQUIVADAS MÊS
    PROGRAMAS DE AFILIADOS: PARA TER ANUNCIOS EM SEU SITE OU BLOG
    © MITOLOGIA NÓRDICA Template by ASGARDH